Notícias

Sescon e o 1º Summit de Assessoramento

                                                                                         Sescon promove 1º Summit de Assessoramento

 

A gerente administrativa do SINBEVIDROS, Milaine Vanderlei Reis, participou no último dia 7 de junho, do 1º Summit de Assessoramento, realizado pelo Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo (Sescon-SP). O evento discutiu as novas relações de trabalho envolvendo empregadores, empregados e sindicalistas. 

Com a temática “Uma agenda para o Brasil”, o evento abordou o papel das instituições brasileiras, a necessidade de realização das reformas, a luta contra a corrupção, a importância do otimismo nesta fase de transformações no país, entre outros assuntos. Cerca de 200 pessoas estiveram no auditório do Sescon.

Para o atual presidente do Sescon-SP e Aescon-SP, Reynaldo Lima Jr, “o balanço deste encontro foi espetacular, porque nós conseguimos trazer personalidades das mais diferentes áreas do Judiciário e do Governo, pessoas que estão tratando especificamente da reforma da Previdência, como o ministro do Supremo, Luis Roberto Barroso, que palestrou e engrandeceu ainda mais o nosso evento. Além disso, tivemos a presença do desembargador Davi Furtado Meirelles, que em sua fala, deu um importante recado sobre as regras de transição da reforma Trabalhista e das consequências sobre o fim da contribuição sindical obrigatória”.

Em seu discurso, o ministro do Supremo Tribunal,Luis Roberto Barroso pontuou que “o mundo atual vive um momento onde a revolução digital mudou a nossa maneira de viver e de vivenciar o mundo. Este processo mudou as nossas vidas, hábitos e formas de encarar o mundo. Aqui noBrasil, somos 181 milhões de usuários, o quarto país mais conectado do mundo. São tempos de mudanças, avaliações, reflexões sobre o mundo, seus sistemas de governo e formas de vida. Até a democracia, que foi a principal ideologia do século 20 vive tempos difíceis. Ela que derrotou o fascismo, o nazismo, o comunismo, os regimes militares e os fundamentalistas religiosos, hoje vive em um mundo não tão identificado com as suas diretrizes e linhas de pensamento. Há no mundo, uma onda autoritária, já imposta em alguns países, devido aos mais diversos problemas sociais, como a taxa de desemprego, por exemplo. É o que vivemos no Brasil. Para termos uma ideia, em 1960, o Brasil tinha 2 vezes e meia o PIB da Coreia do Sul, e hoje, nós temos 1/3. É preciso reconhecer que nós erramos muito de lá para cá, problemas que passam pela falta de investimentos na educação básica, um modelo de capitalismo com excesso de mercado, onde desenvolvemos um país com muitas empresas estatais, onde há muitos financiamentos e iniciativas gerando um déficit crônico no Estado brasileiro e simultaneamente a isso, realizamos de forma errônea a escolha por uma economia fechada, fazendo com que as empresas brasileiras se tornassem menos competitivas e um Estado privado e direcionado para os interesses de uma elite extrativista, que moldou as políticas públicas de acordo com os seus interesses, não sendo verdadeiramente inclusivas, quando não, estas elites simplesmente saqueavam o Estado, como nós descobrimos de uma forma profunda, quando não chocante”.

Fonte: Sescon

Telefones: (11) 2476- 7021 | (11) 2476- 7479

sinbevidros@sinbevidros.com.br

Av. Paulista, 1313 - 9º andar - sala 906 A. Bela Vista - São Paulo/SP CEP: 01311-923