• sinbevidros

MACRO VISÃO FIESP



Focus: IPCA deve encerrar em 8,00% em 2021, segundo relatório Focus


Em mais um aumento das expectativas do mercado divulgado pelo relatório Focus desta semana, o IPCA deve encerrar o ano com variação de 8,00% ante 7,58% na semana anterior. O centro da meta de inflação para 2021 é de 3,75%, podendo variar entre 2,25 e 5,25%.

Para o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, o relatório demonstra queda de (0,11 p.p.) devendo encerrar o ano em 5,04%, ante 5,15% da expectativa na semana anterior e 5,27% há quatro semanas.

Para a produção industrial, a projeção aponta queda de 0,19 p.p. nas expectativas de crescimento, sendo esperado aumento de 6,09% em 2021, ante 6,28% da semana anterior na produção do setor.

A taxa de SELIC deve encerrar o ano em 8,0%, conforme a mediana das projeções do mercado, aumento de 0,37 entre as semanas (7,63% na semana anterior) com a pressão do cenário de aumento dos indicadores de inflação. Na próxima semana, o COPOM realizará uma nova reunião ao qual haverá a decisão sobre o ajuste da taxa SELIC.

Por fim, a taxa de câmbio deve encerrar o ano equivalendo cada 1 Dólar a R$5,20, conforme a mediana das projeções do mercado, aumento de R$0,03 entre as semanas (US$1,00 = R$5,17 na semana anterior).



ABCR: Fluxo de veículos nas rodovias com pedágio tem aumento de 2,2% em agosto em relação ao mês de julho


O fluxo de veículos nas rodovias encerrou o mês de agosto com aumento de 2,2% em relação a julho, na série com ajuste sazonal. O destaque do mês ficou para os veículos leves que avançaram 3,8% em agosto em relação ao mês de anterior.

Este aumento tende a se prolongar devido ao avanço da imunização da população brasileira contra à COVID-19 e com a maior flexibilização das medidas restritivas impostas pelos Governos Estaduais, retornando próximo à normalidade.

Na comparação com o mesmo período do ano de 2020, o fluxo de veículos aumentou em 9,5%, amparado principalmente pelos veículos leves com 11,2% de crescimento na ótica interanual.



IBGE: PMS aponta avanço de 1,1% do setor de Serviços em julho


O setor de serviços cresceu 1,1% no mês de julho, segundo dados divulgados na Pesquisa Mensal de Serviços realizada pelo IBGE, dado dessazonalizado. Com este resultado o setor de serviços vem apresentando crescimento mensal pelo quarto mês consecutivo, apesar do resultado de julho ter um crescimento menor que o do mês anterior (1,8%). O único resultado negativo em 2021 ocorreu em março quando apresentou queda de -3,0%, período da segunda onda da covid-19 no país.




No acumulado do ano o índice apresenta alta de 10,7% e encontra-se no maior nível do ano de 2021. Na comparação interanual (com o mesmo período do ano de 2020) o aumento é de 17,8%.




Secex: Exportações crescem 2,4% e importações 16,1% em média por dia até a segunda semana do mês de setembro em relação ao mesmo período de agosto


Conforme divulgado pela Secex, a média diária das exportações do país até a segunda semana de setembro passou de US$1.265,10 milhões em agosto para US$1.295,57 milhões no mês de setembro, aumento de 2,4% entre os meses.

No mesmo período, as importações apresentaram variação de 16,1% na comparação da média por dia em relação até a segunda semana de agosto, sendo o valor médio por dia naquele mês de US$864,40 milhões e em setembro de US$1.003,57 milhões.




No acumulado até a segunda semana do mês de setembro, as exportações apresentaram queda de 28,3% em relação ao mesmo período do mês agosto, sendo US$9.069,00 milhões no mês de setembro e US$12.651,00 milhões em agosto.

As importações no acumulado até a segunda semana de agosto apresentaram queda de 18,7% em relação ao mesmo período do mês agosto, sendo US$7.025,00 milhões no mês de setembro e US$8.644,00 milhões em agosto.

Em agosto, os valores acumulados até a segunda semana estavam considerados dez dias úteis, já em setembro foram considerados sete dias úteis.


Com isto, o saldo médio diário da balança comercial até a segunda semana de agosto foi de US$400,70 milhões, enquanto em setembro recuou para US$291,86 milhões. Resultado influenciado pelo aumento diário médio das importações (16,1%).

O saldo da balança comercial no período é de US$2.043,00 milhões, queda de 49,0% em relação ao mês anterior (US$4.007,00 milhões).

Da mesma forma que os dados das exportações e importações, a apuração até a segunda semana de agosto teve 10 dias úteis, enquanto a de setembro teve 7 dias úteis.




CNI: Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) continua em expansão pelo 15º mês consecutivo


O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), divulgado pela CNI ficou em 56,8 pontos no mês de setembro, dado com ajuste sazonal.

O resultado demonstra o otimismo do setor industrial brasileiro pelo 15º mês por ficar acima dos 50,0 pontos, apesar do indicador ter sofrido uma redução de 7,2 pontos no mês e sendo a terceira queda consecutiva (-1,3 pontos em julho e -3,7 em agosto).

Resultados acima de 50,0 pontos indicam otimismo e abaixo de 50,0 pontos indicam pessimismo.




Empapel: Prévia da expedição de papel ondulado apresenta queda de 4,1% em agosto


A Associação Brasileira de Embalagens em Papel (Empapel), antiga ABPO, divulgou nesta terça (14/09) a prévia da Expedição de papel ondulado que na passagem de julho para agosto de 2021 com queda de 4,1%, dado com ajuste sazonal. Na comparação com o mesmo mês de 2020, o índice aponta recuo de 3,1%.

No acumulado em 12 meses, o índice apresenta avanço de 9,3%, se mantendo em patamar elevado desde o início do primeiro semestre de 2021.




Fonte: Macro Visão é uma publicação da: Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP)


7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo