top of page
  • Foto do escritorsinbevidros

MACRO VISÃO SEMANAL



Você está recebendo o Macro Visão Semanal. Veja os destaques:

  • Dados da economia brasileira e internacional na semana de 06/11 a 10/11

  • Síntese da semana

  • Agenda econômica para a próxima semana: de 13/11 a 17/11


Dados da Economia Brasileira na semana: 06/11 a 10/11

  • Expectativas do mercado (Relatório Focus/Banco Central): a mediana das expectativas do mercado, divulgada pelo relatório Focus do Banco Central referente a 03 de novembro, indica que o IPCA de 2023 deverá encerrar em 4,63%. Em relação ao PIB, a expectativa de crescimento se manteve em 2,89%. No que se refere à taxa de câmbio, a expectativa do mercado continuou em R$/US$ 5,00 ao final do ano. Por fim, a mediana das perspectivas quanto à taxa Selic permaneceu em 11,75% a.a.

  • Taxa Selic (Copom/Banco Central): o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, em decisão divulgada na quarta-feira, dia 01/11, decidiu reduzir a taxa básica de juros Selic em 0,50 ponto percentual, para 12,75% ao ano, a terceira queda consecutiva na mesma magnitude. A decisão veio em linha com as expectativas do mercado e levou em consideração a conjuntura atual e os cenários estabelecidos pela autoridade monetária. O comitê sinalizou redução de mesma magnitude nas próximas reuniões.

  • Vendas de veículos automotores (Fenabrave): no mês de outubro, 348.814 veículos automotores nacionais e importados (exceto máquinas agrícolas e implementos rodoviários) foram vendidos no país, considerando dados dessazonalizados. Este resultado representa um aumento de 7,5% em relação ao mês de setembro. Na comparação com o mesmo mês de 2022, as vendas apresentam crescimento de 18,0%. Já no acumulado em 12 meses, as vendas registram alta de 13,4%.

  • Balança Comercial Mensal (Secex): a média diária das exportações do país caiu 0,7% entre os períodos de outubro de 2022 e outubro de 2023. No mesmo intervalo, as importações diminuíram 20,9% na comparação da média diária. O saldo médio diário da balança comercial, por sua vez, foi de US$ 177,7 milhões em outubro de 2022 para US$ 426,6 milhões em média diária em outubro de 2023. O saldo acumulado em outubro de 2023 foi de US$ 9,0 bilhões. No ano, a balança comercial registra superávit de US$ 80,2 bilhões (jan-out/23).

  • PMI Indústria do Brasil (S&P Global): o PMI (Índice de Gerentes de Compras) Indústria do Brasil diminuiu 0,4 ponto no mês de outubro ao fechar em 49,0 pontos, ante o dado de 48,6 pontos em setembro. Com este resultado, o PMI Indústria do país indica retração pelo segundo mês consecutivo. Resultados acima de 50,0 pontos indicam crescimento da indústria no mês e abaixo, redução.

  • PMI Composto e PMI Serviços do Brasil (S&P Global): o PMI (Índice de Gerentes de Compras) Composto para o Brasil encerrou o mês de outubro em 50,3 pontos, o que representa um aumento de 1,3 ponto na comparação com o mês anterior (49,0 pontos). Com este resultado, o indicador volta a sinalizar expansão das atividades após um único mês de retração. Com a alta de 2,3 pontos em relação ao mês anterior, o PMI Serviços volta a sinalizar expansão das atividades do setor após um único mês de retração, ao fechar o mês de outubro em 51,0 pontos. Resultados acima de 50,0 pontos representam expansão da atividade e abaixo, redução.

  • Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (Ibre/FGV): o IGP-DI registrou aumento de 0,51% no mês, após subir 0,45% no mês anterior. Este resultado veio abaixo da expectativa do mercado (+0,55%). No mês, o IPA-DI (Índice de Preços Amplo) subiu 0,57%. Dentro do IPA, os produtos industriais apresentaram variação positiva de 0,66% dos preços, e os produtos agrícolas registraram aumento de 0,32% no mês. O IPC-DI (Índice de Preços ao Consumidor), por sua vez, aumentou 0,45% em outubro. Por fim, o INCC-DI (Índice Nacional da Construção Civil) subiu 0,20%. No acumulado dos últimos 12 meses, o IGP-DI registra deflação de 4,27%.

  • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC/IBGE): o volume de vendas no comércio varejista subiu 0,6% em setembro na comparação com o mês anterior, considerando os dados com ajuste sazonal. Ao observar o acumulado em 12 meses, registra-se crescimento de 1,7% do comércio varejista. Quanto ao volume de vendas do varejo ampliado (que inclui, além do varejo, as atividades de veículos, motos, partes e peças, material de construção e atacado especializado em produtos alimentícios), houve avanço de 0,2% em setembro em relação ao mês anterior, dados dessazonalizados. No acumulado em 12 meses, as vendas no varejo ampliado registram alta de 1,6%. Na avaliação trimestral, o varejo restrito registou alta de 0,8% entre o segundo e o terceiro trimestre de 2023. O varejo ampliado, por sua vez, registrou estabilidade na passagem trimestral.

  • Rumos da Indústria Paulista (FIESP): a pesquisa Rumos da Indústria Paulista indica que 11,7% das indústrias do estado de São Paulo pretendem pedir financiamento bancário para pagar o 13º salário dos funcionários em 2023. Este é o menor patamar da série histórica, iniciada em 2008. Os 11,7% respondentes que vão recorrer aos bancos para pagar o 13% salário pretendem usar os recursos para cobrir 79,2% da folha de pagamento, em média, o 4ª maior percentual da série (2015: 81,3%, 2016: 82,7% e 2021: 80,0%). Das 419 indústrias de transformação paulistas consultadas pelo levantamento, 67,8% provisionaram recursos durante o ano, o maior percentual desde que a pesquisa foi lançada. Mais detalhes sobre a pesquisa podem ser consultados aqui.

  • Produção de autoveículos (Anfavea): a produção nacional de veículos diminuiu 2,3% no mês de outubro frente ao mês anterior, nos dados sem influências sazonais. Na comparação com o mesmo mês de 2022, a produção de veículos exibiu queda de 3,1%. No acumulado em 12 meses, a produção registrou redução de 0,9%.

  • Expedição de papel ondulado (Empapel): a expedição de papel ondulado do mês de setembro de 2023 registrou queda de 1,7% na comparação com o mês anterior, nos dados com ajuste sazonal. Em comparação com o mesmo mês de 2022, a expedição de papel ondulado registra diminuição de 2,4%. Já no acumulado em 12 meses até setembro, o indicador apresenta redução de 0,1%.

  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA/IBGE): o IPCA registrou alta de 0,24% no mês de outubro, após aumento de 0,26% em setembro. O índice veio abaixo da expectativa do mercado para o mês (+0,29%). Os preços administrados ficaram próximos da estabilidade (-0,03%), enquanto os preços livres aumentaram 0,34%. No acumulado em 12 meses, o IPCA registra elevação de 4,82%, com aumento dos preços livres (+3,13%) e dos preços administrados (+9,98%).

  • Índice Geral de Preços - Mercado (Ibre/FGV): o IGP-M caiu 0,27% na primeira prévia de novembro, após aumentar 0,50% em outubro. Quando analisados os componentes do IGP-M, o IPA-M (Índice de Preços ao Produtor Amplo - Mercado) registrou deflação de 0,47% na primeira prévia de novembro. O IPC-M (Índice de Preços ao Consumidor - Mercado), por sua vez, apresentou alta de 0,22% no período. Por fim, o INCC-M (Índice Nacional da Construção Civil - Mercado) registrou aumento de 0,18% na leitura atual.

Dados da Economia Internacional na semana: 06/11 a 10/11

  • Taxa de juros dos Estados Unidos (Federal Reserve): em reunião na quarta-feira, dia 01/11, o Federal Reserve (Banco Central dos Estados Unidos) decidiu manter inalterada a taxa de juros no intervalo entre 5,25% e 5,50% anuais, pela segunda reunião consecutiva.

  • PMI Composto e PMI Serviços dos Estados Unidos (S&P Global): o PMI (Índice de Gerentes de Compras) Composto para os Estados Unidos encerrou o mês de outubro em 50,7 pontos, o que representa uma alta de 0,5 ponto na comparação com o mês de setembro (50,2 pontos). O PMI Serviços registrou 50,6 pontos em outubro, o que também representa aumento de 0,5 ponto em relação ao mês de setembro. Resultados abaixo de 50,0 pontos indicam retração da atividade e acima, expansão.

  • PMI Composto e PMI Serviços da Zona do Euro (S&P Global): o PMI (Índice de Gerentes de Compras) Composto da Zona do Euro encerrou o mês de outubro em 46,5 pontos, o que representa uma diminuição de 0,7 ponto na comparação com o mês de setembro (47,2 pontos). O PMI Serviços, por sua vez, recuou 0,9 ponto na Zona do Euro ao atingir 47,8 pontos em outubro, frente a 48,7 pontos em setembro. Dados acima de 50,0 pontos representam crescimento da atividade e abaixo, redução.

  • PMI Composto e PMI Serviços da Alemanha (S&P Global): o PMI (Índice de Gerentes de Compras) Composto da Alemanha encerrou o mês de outubro em 45,9 pontos, o que representa uma diminuição de 0,5 ponto na comparação com o mês de setembro (46,4 pontos). O PMI Serviços atingiu 48,2 pontos em outubro, queda de 2,1 pontos em relação ao mês de setembro (50,3 pontos). Dados acima de 50,0 pontos representam crescimento da atividade e abaixo, redução.

  • Produção industrial da Alemanha (Bundesbank): a produção industrial da Alemanha (excluindo construção civil) registrou queda de 1,6% em setembro na comparação com o mês anterior. Este resultado veio após alta de 0,4% observada em agosto, considerando dados dessazonalizados. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, a produção industrial alemã diminuiu 7,8%. Já no acumulado em 12 meses, o indicador exibe queda de 1,6%.



Síntese da semana:

A agenda econômica desta semana foi marcada pela divulgação de dados sobre o segmento de veículos, o comércio varejista e o nível de preços. Segundo a Fenabrave, as vendas de veículos aumentaram 7,5% em outubro, acumulando 13,4% em doze meses. A expectativa é de ritmo menor de crescimento das vendas no restante do ano devido ao encerramento das medidas do governo de redução no preço dos veículos. Já a produção do setor diminuiu 2,3% no mês, o que totaliza uma queda 0,9% na variação em doze meses, conforme dados da Anfavea. Essa foi a primeira variação negativa nessa métrica desde agosto de 2022. As vendas no varejo ampliado cresceram 0,2% em setembro, pouco acima da expectativa do mercado, que sinalizava estabilidade. Entre o segundo e o terceiro trimestre do ano a variação foi nula. Portanto, a contribuição do setor varejista para o crescimento do PIB no terceiro trimestre tende a ser limitada. Confira no texto de apoio a agenda econômica para a próxima semana. Por fim, no que tange ao nível de preços, o IGP-DI avançou 0,51% em outubro, frente a 0,45% em setembro. O resultado ficou pouco abaixo da expectativa de mercado (+0,55%) e foi puxado por uma variação mais forte dos preços ao produtor, sobretudo produtos agropecuários, que apresentaram inversão de sinais ao passar de -2,24% para +0,32% no mês. O IPCA registrou alta de 0,24% em setembro, resultado pouco abaixo da expectativa do mercado para o mês (+0,29%). Transportes (0,35%) e Alimentação e bebidas (0,31%) contribuíram com 0,07 p.p. cada na passagem mensal do índice. O IPCA acumula alta de 4,82% nos últimos 12 meses. Conforme o último Relatório Focus (referente a 03/11), a expectativa do mercado é que ocorra aumento de 4,63% do IPCA em 2023. Para novembro, a primeira prévia do IGP-M registrou queda de 0,27% após aumentar 0,50% em outubro.


Agenda Econômica para a próxima semana: 13/11 a 17/11

13/11/2023 (Segunda-feira):

  • Banco Central divulga o Relatório Focus.

  • Secex divulga a Balança Comercial Semanal.

14/11/2023 (Terça-feira):

  • IBGE divulga a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS).

  • CNI divulga o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI).

16/11/2023 (Quinta-feira):

  • Banco Central divulga o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br).

  • Federal Reserve divulga a Produção Industrial dos Estados Unidos.

17/11/2023 (Sexta-feira):

  • FGV divulga o Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10).

2 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page